Tapiraí, na região de Sorocaba, foi a cidade escolhida como sede do Santuário Ecológico do Budismo Primordial, nome do complexo que começa a ser construído a partir do ano que vem numa área com 74 alqueires localizada na Estrada Fazenda Velha. Quem está à frente do projeto é a religião budista Honmon Butsuryu Shu (HBS), cujos líderes estiveram reunidos com o prefeito Araldo Todesco (PSB) para falar sobre o empreendimento.
 
O santuário terá um templo budista, centro de eventos, de lazer, espaço para convivência de crianças, o bosque das cerejeiras, assistência a idosos e trilhas ecológicas. Tudo isso integra o polo turístico que, depois de implantado, deverá atrair um público estimado de 7 mil pessoas por mês. Com isso, o município reforça sua vocação e passa a trabalhar o potencial lá existente. Todesco diz que a colônia japonesa tem forte representatividade em Tapiraí, além de colaborar com o desenvolvimento da agricultura.
 
A cidade é um dos mais conhecidos centros produtor de gengibre do Brasil, cultura à qual os descendentes se dedicam há muito tempo. A construção do templo, explica um dos representantes da HBS, Nelson Okamura, tem como objetivo homenagear Tomojiro Ibaragui, o primeiro sacerdote que aqui chegou, há 105 anos, no navio Kasato Maru, onde também viajaram os imigrantes procedentes do Japão.
 
A religião, continua Okamura, sempre esteve ligada à natureza e à ecologia; como Tapiraí tem 80% do seu território preservados, acabou se tornando o lugar mais indicado. A contrapartida do governo neste processo consiste na execução de obras de melhorias do sistema viário e da infraestrutura na região, que fica distante 5 quilômetros do centro. Calcula-se que, em todo o Estado, existam 500 mil praticantes do budismo.
 
O complexo estará concluído em 2020 e será o décimo primeiro mantido pela HBS do Brasil. Outros ficam nas cidades de Lins, São Paulo, Campinas, Mogi das Cruzes, Presidente Prudente, Taubaté, Curitiba, Maringá, Londrina (todas no Paraná) e Itaguaí, no Rio de Janeiro. O valor do investimento ainda não foi definido, já que depende da elaboração do Plano Diretor do empreendimento. O estudo ficará pronto até o mês que vem.
 
O calendário de atividades que será trabalhado no espaço inclui a realização do Festival das Cerejeiras, nos meses de julho e agosto, além da programação especial comemorativa ao nascimento de Buda, em abril. Ali serão, ainda, celebrados casamentos sob o ritual budista, encontros de jovens e famílias, além de ações turísticas. Todo esse roteiro é discutido com a administração da cidade. "Estamos otimistas com as possibilidades. Certamente, serão muitas atrações e os turistas poderão aproveitar o que será realizado", destacou Araldo Todesco.
 
Já para 2014 está programado o Encontro Nacional de Budismo, que reunirá cerca de 500 jovens e famílias que confraternizarão com atividades espirituais e ecológicas. Em 2015, a HBS espera receber entre 1,5 mil e 2 mil jovens e famílias para o Encontro Mundial, que trará ao país o Sumo Pontífice de Budismo, Yamauti Nitikai. O 25º líder mundial da religião nasceu em novembro de 1925, e foi ordenado sacerdote em 1958. Foi Bispo do Templo Seifuji, com mais de 10 mil fiéis no Japão, em Osaka, antes de se tornar no Papa do Budismo Primordial. Desde julho de 2012 exerce o papado que tem a duração de quatro anos.
 

Deixe seu Comentário